Marketing de Conteúdo, Barbeiros e Idade Média

Produzir conteúdo é a bola da vez outra vez.

Para o feed do Instagram, conteúdos relevantes que durem muito. Para os stories, tudo, o tempo todo.

As pessoas querem ver os bastidores, se possível os bastidores dos bastidores.

E não se esqueça de usar as ferramentas novas, o algoritmo gosta muito que você as utilize, assim vai distribuir seu conteúdo para mais e mais pessoas.

Relembrando que, se publicar nos stories, não deixe de fazer marcações, usar hashtags, fazer umas perguntas usando a enquete, e é claro, use muito o reels.

As fotos devem ser bonitas, sim, mas o conteúdo deve ser relevante. Esse é o principal.

Não poste mais do que 4 stories de 15 segundos cada, o algoritmo parece não gostar.

Mas, espere, tem dias que ele, o algoritmo, muda o jeito que avalia as coisas, então muitos especialistas em marketing digital recomendam postar o máximo de stories que você puder.

Isso tudo apenas falando de Instagram.

Vamos seguir: Tik Tok, pelo menos 5 vezes ao dia. Vídeos no Youtube merecem um conteúdo profundo. Pelo menos 10 minutos, com qualidade TOP, hein!

Linkedin, Twitter, status do WhatsApp e Clubhouse também merecem a sua atenção.

Muita coisa né? Melhor você falar com um especialista, ou participar de uma live e comprar um curso online para entender mais sobre isso. Na verdade, seja lá qual for sua profissão, o bom mesmo é que você também seja um especialista em marketing digital. Mas você está preparado?

Vamos lá, vou te explicar mais sobre essa profissão.

Na idade média uma das profissões mais relevantes era a de barbeiro-cirurgião. O nome parece autoexplicativo, mas não faz jus a diversidade de skills (pra deixar mais moderno) que possuíam nossos marqueteiros digitais surgidos no século V.

Um barbeiro-cirurgião, era ansiosamente aguardado nas aldeias. Filas se formavam com a sua chegada. Eram eles místicos dotados de ferramentas das mais diversas, sempre prontos para vender um tônico milagroso, cortar cabelos de senhoras ou arrancar dedos podres de enfermos caquéticos. Depois de um show de mágica que alegrava a todos aldeões, passavam seus chapéus e corriam para o próximo vilarejo, antes que os compradores dos tônicos pudessem registrar alguma queixa no Reclame Aqui.

Hoje não é muito diferente. No lugar da chegada triunfal em uma carroça, nossos marqueteiros chegam em calls através do Zoom, lives no Youtube ou sequencias de e-mails. Seus tônicos possuem a mesma eficácia de antigamente. E no fim das contas, assim como um paciente que tomava um litro de conhaque antes de ter seu dedo amputado de forma brutal, o alívio para os que sobrevivem faz com que o próximo barbeiro a chegar seja alegremente admirado.

Entre dedos amputados, shows de mágica e estratégias de conversão de leads, tanto o barbeiro-cirurgião para a medicina teve o seu valor, assim como o especialista de marketing para as vendas também tem.

E aí, se animou?

Calma, não fique assim. Você não está só. Estaremos juntos, compartilhando a FOMO, e vamos superar.

Com tanta coisa para produzir e tanta gente produzindo a mesma coisa, só podemos estar no pico da curva. Sabemos bem o que acontece depois que uma curva atinge o seu ápice, certo?

Afinal, ainda que maçante, é menos doloroso criar um post para as redes sociais, ou um conteúdo tão parecido com os outros bilhões de conteúdos que já foram criados, do que perceber que na verdade viajamos de aldeia em aldeia em troca de algumas moedas.

Bem-vindx ao marketing digital.

Entrepreneur. Passionate about music and books.